segunda-feira, abril 09, 2007

Compreendo e aceito, mas não mudo.


Permito-me sentir na pele o vento da manhã fria,
aceito a luz do dia e a escuridão da noite,
caio em tentações,
deixo-me ir na cama, perdida,
no vão de escada sujo,
caio num sono profundo de abraços a peles desconhecidas
de suores alheios
virando costas aos mesmos
sem remorso de ser, estar ou querer
sempre com atenção ao que me rodeia,
perco-me numa distracção própria de quem não entende o porquê de acontecimentos corriqueiros,
vejo com olhos que nem sempre são meus,
pondero as inúmeras opiniões que brotam em mim,
questiono cada uma delas e fico sem resposta,
ajo no impulso do sentir,
com a gota de suor que me percorre as costas
e a lágrima que me lambe a face,
abro a mão para sentir o carinho desse vento que me passa por entre os dedos,
agarro a ilusão de liberdade oculta
na mesma mente que me leva ao turbilhão da existência
entro nesse vulcão a que chamo coração e sinto o cheiro do fogo
queimam-se-me as entranhas nessas fogueiras de fogo frio
cuja lenha que as alimenta não passam de aparas minhas
cortadas num hostil sofrimento
e de pinhas caídas da minha memoria triste
ergo-me desse gelo crepitante,
e questiono, valorizo, julgo, destruo, arrependo-me, arrepio-me, gelo, inspiro, exalto-me, extrapolo, fervo, abraço, mostro-me, curvo-me, elevo-me, coordeno, imagino, compreendo, escondo-me, falo, beijo, vivo…
Vivo o mais livre que consigo,
na minha consciência trago apenas amor,
nesse amor residem as minhas queridas putas




Puta Valente

1 comentário:

puta arrogante disse...

e nõ é k esse amor é reciproco?!

beijos para todas!