sexta-feira, abril 20, 2007

Asas…

Trago no regaço, aquela noite, perdida na memória…

Vai e volta, como as ondas desse mar de sentimentos que trago na alma, e por vezes bate-me na cara com a violência de marés vivas, na rocha salinada, para que acorde e reviva cada momento… aqueles momentos em que brincávamos como crianças e sorriamos, tocando-nos com inocência, e trazíamos no olhar a cumplicidade de um amor idoso, e de mãos dadas mostramos uma vez ao mundo o que é possível com um gesto tão simples, mas tão forte, símbolo da união, símbolo do amor desenfreado, o amor que nos levava para a cama, na intimidade de mãos soltas e livre de carências, o amor livre que nos permitiu sentir na língua o salgado suor de um do outro, a liberdade de termos dois corpos num, o vento de cada sussurro que nos contava histórias de eternidade, o caos onde nos aninhávamos, exaustos de tanto nos ter e felizes por tanto nos amar-mos.

Essa memória que me castiga a cada momento que me perco nela, essa memória que me traz o teu sangue coagulado naquela rua. Vejo o vermelho nos meus olhos, sinto a dor acutilante de inúmeras agulhas unidas, cravadas no meu coração, prende-se-me a fala, a palavra e até a convulsão, apenas gemo, baixinho, e caem-me as lágrimas gordas de aflição, tenho-te a cabeça no colo, e nas mãos, por mais que as lave, trago sempre o cheiro da tua morte, porque a tentei agarrar, mas ela olhou-me com certezas, era a ti que te queria, apenas. Não sei quanto tempo passou, hoje ainda me vejo naquela rua, contigo, no chão, e junto ao teu sangue, as minhas lágrimas misturaram o nosso amor e levaram-no para parte incerta, fiquei apenas com a memória, e o vazio.

Hoje sou puta, perco-me nas incertezas da vida e apenas trago no bolso a de ter sido feliz com um amor único.

4 comentários:

Masturbatrix disse...

O corpo e o espírito, o mesmo combate.

puta arrogante disse...

Ai Puta!

Tocas me no coração com as tuas palavras...
Atinges me...
Dou por mim a sentir...
E embora por vezes doloroso, gosto...
E é com ânsia que espero a próxima vez em que sentirei com palavras tuas!

puta valente disse...

Masturbatrix_ é por vezes um combate sangrento, muito, e desgarra-se a alma do corpo em castigo, deixando o corpo inválido, sozinho, vazio... são os meus momentos desinspirados...
E a alma só volta quando já não aguenta a ausência, porque no fundo, são como um casal de amantes, que apenas entendem a linguagem da cama...

Arrogante_ são palavras com consistência, tem dureza, tem ritmo e eu fico tão feliz, por, mesmo que com a tua interpretação única, consigas sentir palavras. Somos Putas, mas somos sensíveis!
:)

Masturbatrix disse...

Corpo inválido? momentos desinspirados?!!...

Humm..Ainda não estás desfeita...lol
Isto são só as coisas que não se conseguem deixar para trás, por angústia, superstição, ou outra coisa qualquer...
Fá-lo. é uma maneira de perderem a sua influência... melhor que antidepressivo, que faz mal ao corpo. :)