terça-feira, Dezembro 26, 2006

Putas & cia nas ruas

Pois bem,Lá houve o festejo do solstício, o mesmo viu-se ameaçado pelo engarrafamento que se fez sentir na noite de 21, andava tudo desnorteado!


No entanto nada nos impediu de chegar-mos com grande atraso ao restaurante, não lhe faço publicidade, deixo apenas a porta


Aqui arfamos com o calor, calamo-nos com o fado cantado, vimos o degredo, com o qual nos identificamos, esperamos, minguamos, comemos, bebemos, e ficamos para a mutação do local, a remoção das toalhas, a troca do vinho tinto pelas cervejas de meio litro, a ida dos maduros a vinda dos verdes.
Caímos nas ruas de Lisboa, no belo bairro alto, que nos acolheu com o carinho de uma mãe e com a disciplina de uma madrasta entramos em todas as portas que nos chamavam...


E brindamos como se não houvesse amanhã, a tudo e a todos, com o ânimo da profissão no sangue, com a vontade de mil caranguejos em alto mar, só que não éramos assim tantos…





Depois o corpo queria mais, mas o alcóol dizia que estava era na hora de um belo hambúrguer e assim foi, corremos dali para fora...







Comemos, lambemos os beiços entre gargalhadas descaradas e caímos na cama da forma mais espalhafatosa possível, porque o álcool já dominava esta puta...






Na manha seguinte…Nada a declarar…

Puta Valente


1 comentário:

puta arrogante disse...

Pois que agradeço os esclarecimentos e invejo não poder ter participado até ao fim de tal ataque à noite lisboeta!