quarta-feira, dezembro 20, 2006

A busca por ti


Revirei a minha alma, a mesma recusa-se a mover um pouco que seja, não permite galhofas, está azeda, encontra-se em sangue, envolta em arames farpados impedindo a aproximação de qualquer sangue quente que se atreva, e o sangue frio teme o gelo que me envolve, mantenho o olhar estagnado, sem intenções de busca, sem intenções de nada, vazia de canduras, plena de raivas efervescentes


Sinto um tremor interno, gelo o olhar e pergunto com voz férrea, por quem teve a ousadia de se aproximar.


A resposta veio em forma de gesto e o gesto foi tão quente que me quebrou a camada gélida com a qual vivi confortável, diluiu o ácido que me protegia, desfez o metal do farpado que me isolava.


Tornei-me frágil, cai no chão, com ansias de vida, senti um movimento estranho no interior, compassado, quebrou-se o hialino orgulho do meu coração, soltando o grito em som de batimento, o calor foi assustador, senti o calor do amor, senti-me coberta de um manto invisível e acolhedor, um espasmo facial se me deu, foi o meu primeiro sorriso, e para ti, apaixonei-me, entrguei-me, mostraste-me um mundo que não queria ver, fui feliz.


Partiste, ameaçaste não voltar, acordamos que viveriamos afastados, sem intenções de voltar a sentirmos-nos as almas, sem partilhar segredos, sem cheiro a algodão doce, o meu sorriso não voltou a ser o mesmo, ficou apenas para ti, criou raizes no tempo parado, que uso para respirar . Nostalgia angustiante, mas o metal que me cobre é outro, é ferro de sangue, é amargura, é sede de vida que não voltei a encontrar nos corpos que vivo, nos corpos estranhos que toco, mãos perdidas, almas desonhecidas e falta de ti, em cada passo, que dou, em cada mão que vejo dissolvida no ar, procuro-te, sinto-te a falta, imito-te, em cada corpo uma emoção, uma ideia depravada, um pecado consumido, um orgasmo perdido, uma energia dispersa, em cada um deles, uma procura de ti, uma esperança de te encontrar.


Puta Valente


2 comentários:

Puta arrogante disse...

é por causa de textos como este que eu sabia que este blog iria resultar!

Ao ler o que escreves sinto me transportada para o universo que (re)crias, sinto o frio, o medo, osangue, a ansia...também eu procuro e espero encontrar o mesmo que a "personagem" busca.

é bom estar rodeada pelo vosso talento! (e neste vosso incluo também as nossas rameiras associadas)

Puta valente disse...

Mais rápida que o pestanejar, voce!
:)
Uma vénia lhe deixo, por quem sois!
beijinhiiiiis!