terça-feira, julho 10, 2007

POEMA DA FODA

Neste Portugal pequenino,
Quando começa o verão,
Não há um só ser humano
Que não fique com tesão.

Um país diminuído.
Mas paraíso europeu,
Onde todo mundo fode,
Toda a gente se fodeu.

Fodem moscas e mosquitos,
Fode aranha e escorpião,
Fodem pulgas, carrapatos,
Fodem servas c'o patrão,

E os brancos fodem as negras.
Com grande consentimento,
Os noivos fodem as noivas
Muito antes do casamento.

Coronel fode Tenente,
General, o Capitão.
Também o Chefe do Estado
Vive fodendo a nação...

Os monges fodem as freiras,
E o padre, o sacristão,
Até na igreja de crentes
O pastor fode o irmão.

Todos fodem neste mundo
Num capricho derradeiro.
E o danado do dentista
Fode a mulher do padeiro.

Parece que a natureza
Vem-nos a todos dizer,
Que vivemos neste mundo
Somente para foder.

E você, meu bom amigo,
Que está neste entretém,
Se não gostou do poema,
Vá-se foder também!!!

(Autor Desconhecido)
Também, se fosse, tava fodido!!!

5 comentários:

Anónimo disse...

Lindo .... 5 estrelas ... estou Maravilhado ... ai que coisa tão linda :)

Ass: Quiron

Joaomar disse...

Adaptaste-o, certo?;)

um abraço

Ana Rita disse...

Fabuloso :))

Maria Ostra disse...

:D

Jose disse...

Que poema mais belo fiquei comovido :)