quinta-feira, julho 05, 2007

Fatal como o destino

- O que trazes no bolso?
- Folhas...
- De onde?
- De árvores...
- Porquê?
- Porque as apanhei.
- Pulaste?
- Não, caíram...
- Para ti?
-Sim, foram uma oferta, para mim.
- Que lhes vais fazer?
- Nada.
- Mas vão secar...
- Não vão, não...
- Vais por em água?
- Água? O que é água?
- É vida....
- Como tu?
- Não, eu sou perdida...
- És perdida? Onde te perdeste?
- Na vida.
- Na água então?...
- Quem me dera ter sido nessa imensidão... mas... e as tuas folhas?
- Que têm as minhas folhas?
- Vais come-las?
- Não!!
- Estava a brincar…
- São as minhas histórias, as minhas experiências, são os meus actos, as minhas tristezas e alegrias, são os meus sentimentos, estas folhas foram feitas para mim...

(cai mais uma folha, é colhida do chão, há silencio perpétuo)

- Que se passa? E as folhas, falam-me das folhas.... (silêncio) Estás triste?
- Sim...
- Deixa-me limpar-te a lágrima... porquê?
- Porque vou ter que te matar

3 comentários:

Masturbatrix disse...

Bom, agora perdi-me...

puta valente disse...

Perdida ando eu, que já rodei 100 esquinas, agora, venham outras 100 !!
Obrigada por acompanhares, mesmo desorientado ;)

puta arrogante disse...

Venham outras 100, mas parece que entretanto tiraste umas férias...
Vem mazé por o corpinho a render!