quarta-feira, agosto 01, 2007

Meditação sobre a "Meditação sobre a História da Itália"


Esta tela foi pintada por Francesco Hayez, em 1850. O olhar enegrecido desta beleza não contempla o espectador directamente nos olhos, ela está com o pensamento perdido a vaguear, como que hipnotizada a menina, supostamente, na História de Itália, como demonstram os adereços com que foi retratada, um livro com as letras "Storia d'Italia" e uma cruz negra, a clamar para o papel importantíssimo da religião na história desta nação.
Tanta era a abtracção, que ai, ups, que se lhe destapou uma mama, coitada. Embora lá, pintá-la assim, à alegoria, maminha de fora que este tema ficará ainda mais rico de interesse. Para além de que, um seio túrgido na tela partilhada com a cruz será uma provocação irresistível.
A Arte não o é sem impacto, alteração, inquietamento de pensamento, pelos meios mais variados que se inventem, o que é difícil, conseguir ainda provocar alguém num meio cada vez mais aberto às diferenças. Conseguirá a Arte sobreviver num mundo que cultiva a provocação constante? Por mim, se a Arte perde, paciência, quem ganha é o Mundo! Esses artistas que se amanhem, hão de conseguir inventar outra Arte.
Quanto à arte da putice, minhas artistas, se o mundo berra-nos a todos aos ouvidos com sexo, disfarcem-se de outros temas de forma inteligente, como esta menina, estejam atentas aos pormenores que importem, que a clientela, a refinada, a que melhor nos interessa, não nos decepcionará e cairá feliz nas teias da puta.

5 comentários:

puta arrogante disse...

Esta puta é culta pah!

Adorei, o quadro e o teu texto!

Gostei tanto, que não vou estragar com comentários tontos...mas como sou garganeira pergunto: tens mais?

;)

Masturbatrix disse...

"Conseguirá a Arte sobreviver num mundo que cultiva a provocação constante?"
Claro que sim! Deixou foi a tela, o Estado e a religião, isto é, tudo o que a suportou durante séculos... a arte agora está nas tibias, nos perónios, e representa-se com tesão, orgulho, muito orgulho, vaidade etc....e putice pois! Porque não excede poucas dezena de minutos e surpreende por tanto realismo! :)
E não concordo, a mamoka ali não acrescenta qualquer provocação, o nu sempre foi elemento da arte "beata". Apenas me faz lembrar a ausência da playboy, youtube ou dvd´s das jennas jemerson nas épocas...ou da industrialização da coisa... :)

(arrogante, ler os teus textos está a fazer-me mal.. em materia de arrogância estou muito pior que tu, não?? :)

puta arrogante disse...

Masturbatrix, se estás pior que eu ou não, não sei... mas sinceramente não me importo se estiveres. A arrogância é precisa neste mundo :P

Puta disse...

Tive a pesquisar acerca desta pintura, e cheguei à conclusão que representa Itália, nua, sem esperanças após o fracasso das revoluções de 1848, também chamadas de Primavera dos Povos, revoluções de carácter liberal democrático e nacionalista, iniciadas por membros da burguesia e da nobreza que exigiam governos constitucionais, e por trabalhadores e camponeses que se rebelaram contra os excessos e a difusão das práticas capitalistas.
As revoluções italianas fracassaram em virtude da reação do absolutismo, encorajado pela Áustria, do avanço do radicalismo social de Mazzini e, sobretudo, pelo caráter ainda incipiente do capitalismo, o que reduzia o potencial das forças revolucionárias. Embora fracassado, as Revoluções de 1848-1849 revelaram o caminho para concretizar a unificação (Risorgimento). Deixaram evidente a necessidade de obter uma ajuda externa capaz de neutralizar o poderio austríaco, um dos obstáculos à unificação.

Puta Obediente

Anónimo disse...

Vai trabaiá...
vai prantá feijao, arroz e mandioca, debaixo do sol quente que verás o que é bom.