terça-feira, maio 29, 2007

Fazer Sexo vs Fazer o Amor vs Foder

Depois de muito pensar decidi expor uma nova teoria. Vou falar um pouco acerca da diferença entre: Fazer Sexo, Fazer Amor e Foder.

Ora pois bem… estes três actos apenas têm em comum uma coisa, os respectivos órgão sexuais. De resto são completamente distintos e acho importante que se especifiquem, porque afinal quem faz o amor não pode andar para aí a dizer que fode, quem fode não pode andar para aí a dizer que faz sexo e quem faz sexo não pode jamais grunhir que faz amor ou fode.

É uma questão de categorias (sou uma puta muito organizada)... Adiante:




Fazer sexo – Tecnicamente é uma arte de prazer muito apreciada em todo o mundo. Ao fazer sexo alguma emotividade estará envolvida, na medida em que para fazer sexo não será necessário o famoso “tesão” basta uma erecção e alguma vontade. Pode existir algum envolvimento de ambas as partes, mas a técnica sobrepõe-se a qualquer sentimentozinho ridículo que possa eventualmente despertar… Tenho como exemplo disso os típicos gajos cabrões, que grunhem algo do género “amo-te”, enquanto estão a fazer sexo. Ora bem, até é possível que no momento sintam o amo-te mas… é amo-te orgasmo e não à criatura que o está a proporcionar. Este exemplo representa a ínfima emotividade que fazer sexo proporciona.



Fazer o Amor – Só por si a frase é ridícula. O amor não se faz, sente-se. Mas como quando amamos alguém (infortúnios da viduxa) sabemos que não fazemos sexo, nem fodemos, o Ser Humano decidiu dar este título ao acto mais bonito (e estúpido) entre duas criaturas. E o que distingue este acto dos restantes? Simples… quem já o viveu sabe distinguir, quem só fodeu ou fez sexo não o reconhece. A diferença está não só no sentimento, mas também no acto em si. Fazer o Amor é fazer sexo com o corpo e com a alma (o que uma puta tem de explicar:P) é quando dois se transformam em um, independentemente de orgasmos (apesar de ser sempre bem vindo), é quando duas pessoas se perdem uma na outra esquecendo por vezes a penetração. É o comungar com o corpo e a alma através dos olhos, dos beijos, do toque. É a contemplação, não física mas sim emocional do outro. Quem faz amor não diz amo-te enquanto o faz, mas é normal dize-lo antes de adormecer ou no fim enquanto contempla o momento.


Foder – Nem preciso dizer que Foder é critério indispensável para se ser puta. Quem se recusa a foder, jamais poderá enveredar por esta profissão. Neste acto o tesão é indespensável, compreenda-se que tesão é diferente de erecção. Tesão é algo mais prolongado mais libidinoso que uma simples erecção… tesão é uma erecção ou lubrificação no corpo todo e não apenas nos órgãos genitais! O acto de foder (bastante interessante por sinal) permite ao indivíduo uma liberdade fantástica quer de movimentos quer de imaginação. Claro que fazer sexo também e o fazer o amor também…. Mas no foder a liberdade é diferente. Neste caso em especifico podemos foder hoje com um, amanha com outro e por aí adiante. Geralmente é um acto tão frenético que dispensa voltar a ser executado com a mesma pessoa. Nesta acto não existe espaço para sentimento, esse fica completamente sufocado pela intensidade que o acto desperta no sujeito. Geralmente apela muito a fetichismos, justamente pela liberdade que lhe é característica. No fim de foder, ou paga-se ou no caso de não se foder com uma puta (ou gigolo) as pessoas vestem-se e vão embora. Não há cá despedidas para ninguém, nem suspiros para ninguém. Acabou, acabou! Já se vieram, já tiveram orgasmos, logo já fizeram o mais importante.

Depois desta distinção, devo apelar aos casaizinhos espalhados por este mundo fora… Nada impede que numa relação, em que as criaturas tenham cometido o erro de se apaixonarem, se possam realizar estes 3 actos. Acho até deveras saudável executa-los a todos numa relação conjugal… assim não existirá monotonia sexual, porque num dia tanto se fode como se faz sexo ou até faz o amor. Por isso criaturas de relacionamentos… façam tudo isto e é quase garantido o casamento ou ajuntamento. Como eu sempre digo… para qualquer namorado, temos de ser umas donzelas na cama e subitamente umas putas de primeira categoria… desta forma, não existirá a necessidade de procurar fora da relação qualquer um daqueles actos… Multifacetados, eram o que todos os seres humanos deveriam ser!

Puta Bifida



9 comentários:

puta arrogante disse...

Como sempre: GENIAL!

venham mais!

Criatura Sofrida disse...

Sem dúvida que dá uma excelente leitura e nunca tive uma tão boa definição sobre os 3 referidos conceitos.

Anónimo disse...

Eu escolho os 3 conceitos :)
Nada melhor do que começar a fazer amor com sexo e depois foder que nem os loucos :)

Muito bom ;)

Moura ao Luar disse...

Um bocadinho de tudo é o que é

puta arrogante disse...

concordo com a moura ao luar...
de tudo um pouco e um pouco de tudo!

Siga!

Puta disse...

Mas meus caros... concordo que um bocadinho (ou bocadão) de tudo é que é bem.... mas acho que não se deve misturar estes três actos numa só queca (só muito pontualmente). Se não vejamos: continua a ser monótono e dão é muito propenso a surpresa. Bom bom é nunca se saber se se vai foder, fazer sexo ou o amor!!!

Puta Bifida

puta arrogante disse...

ui...a excitante surpresa do desconhecido!

muito maravilhoso!

puta valente disse...

Sim sra...
Muito bom...
deu-me vontade de foder

Anónimo disse...

Primordial
cc