sexta-feira, fevereiro 23, 2007

Manobras perturbantes

Apresentador: Cá está ela, a puta que faltava neste circo que é a vida e não sem antes lembrar que esta Puta veio para ficar. Por isso... meninos e meninas, senhoras e senhores, directamente de um universo paralelo em que comunicar é inerente ao facto de existir, um grande e forte aplauso para a Putaaaaa Obediennnnntee!!!

(Trombetas ressoam, palhaços fazem piruetas e outros malabarismos, equinos galopam em círculos a um ritmo estonteante, e eis que surge em cima de um paquiderme cor de rosa que elegantemente ergue uma das patas dianteiras, a maravilhosa, a magnifica, a esplendorosa, a Puta Obediente. O público vai ao rubro, mulheres desmaiam e algumas crianças não conseguem conter aquela pequena porção de urina tal é a excitação provocada.)

CORTA!

Narrador: Numa noite fria e escura como esta ela sai para mais um desfile de crime e horror, a casa mortuária local já não consegue esconder o que todos temem, há um serial killer à solta só uma pessoa o pode encontrar, nesta rua todos são suspeitos, todos têm algo a esconder...

(Nos quartéis generais do Putedo Social Club)

Puta Arrogante: Vocês têm de ver o quadro global, quem quer que esteja a a(ssa)ssinar estes posts, quer deixar uma mensagem que ainda não conseguimos descodificar.

Puta Valente: Será sânscrito, a linguagem anterior à queda da Torre de Babel? - pergunta, incrédula.

Puta KO: Sânscrito?! Duvido que hoje em dia alguém saiba falar, quanto mais escrever.

Puta Paciente: E os detalhes – afirma levando a mão ao queixo, detendo-se por instantes e cerrando lentamente o olho esquerdo em tom de reflexão – são uma delícia.

Puta Bífida: Penso que seja algo mais do que isso, afinal estamos a falar de uma pessoa que transpira sexo, e hoje em dia esse tipo de pessoas podem-se tornar extremamente criativas.

CORTA!

Repórter: Esta é a história de mais um jovem, como tantos outros, para o qual os ventos e marés lhe reservariam uma vida toldada pelos pecados da carne. Puta Obediente (nome fictício para esconder a sua verdadeira identidade) começou a prostituir-se aos 16 anos, na altura, ainda muito jovem, tomou contacto com os prazeres que apenas estavam acessíveis através de jornais e banda desenhada de carácter pornográfico, evoluindo depois para revistas e filmes, hoje em dia, com o avanço das tecnologias, sente-se feliz por ter acompanhado o progresso, aventurando-se agora em websites de sexo explícito.

CORTA!

CORTA!

CORTA!

(Entra em palco a Puta Obediente, apenas com um foco sobre a sua figura de modo a que tudo o resto é escuro)

Puta Obediente: E que tal esquecermos toda a eloquência e ficarmo-nos por aquilo que realmente interessa?! Afinal de contas... “Time and Tide waits for no man”.

Nos jornais, nas revistas, no meu aniversário ou mesmo quando vou á retrete deparo-me sempre com a mesma situação, estamos tão presos ás palavras que nos esquecemos de como se fala.

E aqui estou eu, a falar-vos de uma forma inaudível para quem quer que seja, sabendo que apenas será captada 10% da informação que vos exponho (estranha imperfeição do ser humano).

O meu estilo é assertivo manipulador pois defendo os meus direitos sem violar os dos outros, moldando a minha mensagem consoante as pessoas às quais me dirijo.

Nesta altura já deve ter sido desencadeado desse lado do monitor um mecanismo de defesa através das sinapses do teu cérebro, despoletada uma barreira à comunicação que evidencia a poluição mental e tudo o que nos lembra a imperfeição do ser humano enquanto ser vivo, sentes enjoo e náusea, queres fugir...

PARA!!! ESCUTA!!! OLHA!!!

Estás a meio da travessia de uma estrada e neste momento é tarde demais para voltar atrás.

Estão 40ºC e o asfalto evapora aos teus pés, a estrada está vazia, deserta...

SENTE!!!

É neste momento que decides: atravessa-la, ou percorre-la ciente dos riscos que se apresentam no teu caminho.

FIM (nem tanto...)

Puta Obediente

Dedicado ao Duende do Pai Natal que morreu o ano passado vítima de esgotamento.

3 comentários:

puta arrogante disse...

O que dizer perante este post?
É fora do comum;
É como tu;
Quem te conhece identificaria a sua autoria mesmo que não o tivesses a(ssa)ssinado :p;
Gostei como em pequenas frases conseguiste captar cada uma das Putas...
Quero mais! Pode ser?

Puta valente disse...

"estamos tão presos ás palavras que nos esquecemos de como se fala."
Aqui, parei, revolvi-me, procurei-me e não me encontrei, sentei-me no banco de reserva da alma e re-li, com a calma de um beija-flor, a bater as asas que nem desgraçado pai de família, e senti de vez a prisão, a minha alma chorou... é uma dramática...
Por favor, que o fim não o seja e os meus pesames ao pai natal pela perda!

Puta disse...

SIMPLESMENTE DELICIOSO!!!

TENS AQUI UMA ORDEM OBDIENTE.... CONTINUA A DELICIAR O PUTEDO COM TEUS POSTS!

PUTA BIFIDA