segunda-feira, fevereiro 12, 2007

CERTO OU ERRADO?!



Quantos de nós não estamos constantemente a pensar no que é certo ou errado? No que devemos ou não fazer? No que devemos ou não dizer? Pior… no que devemos ou não sentir?! Reflectir acerca do que se faz ou diz é perfeitamente plausível, chama-se a isto consciência, ética, carácter etc. Mas… pensar no que devemos ou não sentir??? Questionar se podemos sentir amor, paixão, tesão, carinho, raiva, inveja e tantos outros sentimentos mais?! parece-me um tanto ou quanto absurdo! Se não vejamos… Quando alguém pensa se deve ou não sentir o que sente, já está automaticamente a sentir… seja o que for! Então para que anda meio mundo a enganar-se?! O sentimento existe e pronto! Não vale a pena escondermo-nos atrás do que devia ser, ou do que era desejado… viver o sentimento é a melhor forma de lidar com ele! Quanto mais o escondemos, maior se torna. Exactamente como a libertação de energia que a terra faz com pequenos sismos. Quando deixa de o fazer… então eis que surge o inesperado e temível terramoto! É a metáfora das vidas de todos nós!!
Por isso PUTAS DESTE MUNDO (e do outro), SINTAM, mas sintam mesmo, sem medos, sem constragimentos, sem pudor!! SINTAM, apenas!

Silvos profundos a todas!

Puta Bifida

8 comentários:

Coin-Operated boy disse...

Certo ou errado ..
Complica-se tanto..
Quando existimos apenas para completar um ciclo..
Nascer (..) Reproduzir (..) Morrer.
Não podemos errar assim tanto..
Em três objectivos, parece-me que podemos apenas falhar em um..

Puta valente disse...

Estimada bifida,
Escusado será dizer que o impulso rege o mundo, tudo o que vem em vez dele é distração nossa, é racionalização deplorável, é chatice que procuramos e louvavmos.

Estimado coin-operated boy,
A reprodução pode falhar, mas os treinos à mesma não se falham...

Bem-haja!

puta arrogante disse...

Epah, eu espero bem k a reprodução falhe! Livra!

Quanto ao sentir...acho mto bem k se sinta...mas não és tu, Bifida, que costumas racionalizar tudo?

Maria Ostra disse...

É a maravilhosa pulsão!

Coin-Operated boy disse...

senhora puta arrogante... não deseja cumprir com os objectivos mais importantes da nossa sociedade?? nascer é relativamente "fácil".. morrer, dependendo do nosso estado.. pode ser mto fácil.. ou mto dificil..
mas n temos escolha.. temos que os cumprir..

reproduzir..já requer um pouco de esforço e técnica.. é a única meta em que temos algum controle..

puta arrogante disse...

senhor coin...discordo consigo, nem para reproduzir temos escolha.
Há quem tente anos a fio e não consiga e há quem se proteja ao máximo para o evitar e falhe!
A reprodução, tal como inumeras outras coisas na vida, também escapa ao nosso controlo.

E de facto, não sei se reproduzir será um dos objectivos mais importantes da nossa sociedade, há por aí muitos resultados de reproduções que foram maltratados e encontram-se carenciados, se reproduzir fosse tão importante tratariamos melhor dessas questões, não acha?

Coin-Operated boy disse...

Eu gosto de tratar a "reprodução" como algo mto importante..
Maravilhoso pensar cheguei até este século porque os meus antepassados conseguíram chegar à meta "reprodução" antes da meta "morte"..

Ahh.. votei.. SIM..
tenho na ideia que se não se tiver condições de sustentar uma criança, e ela irá sofrer, é melhor nem nascer.. "(atenção) cada caso é um caso.."

puta arrogante disse...

No meu comentário não estava em momento nenhum a referir me ao referendo do aborto, para sua informação também votei "SIM". Considero a vida de um ser humano preciosa demais para ser negligenciada, maltratada, violentada, etc...como acontece inumeras vezes e nós ainda não conseguimos dar resposta para eliminar todas estas situações.

Quanto ao facto dos seus antepassados, e dos meus, terem chegado à meta da reprodução primeiro do que à meta da morte...
de facto, a criança nem sempre se safava, mas os pais treinavam tanto que a coisa ficava ela por ela.

E, ao dizer que esperava que a reprodução falhasse estava a falar em nome próprio, no meu caso particular. Que os outros se reproduzam que nem coelhos, isso é lá com eles!