domingo, janeiro 14, 2007

Torpor

Sem avisar ou fazer se mostrar algo vai invadindo o meu corpo, devagarinho e sem levantar suspeitas...
É algo estranho, estranhamente agradável que a pouco e pouco vai tomando conta de mim...
Quem primeiro dá sinal, são os olhos, que notam que algo não esta bem e embora vigilantes começam a semicerrar, logo em seguida a boca tenta avisar me, mas o melhor que consegue é bocejar...
A vontade, essa, nem percebe o que é que lhe sucedeu e é logo aniquilada, presa num canto fundo e recôndito do qual dificilmente consegue escapar...
Lenta mas eficazmente noto que sou vítima de um torpor que me invade todo o corpo...os membros não reagem, a cabeça pesa, os sentidos estão embotados, a alma parte docemente para outro mundo...
Num esforço final, feito não sei porque instância, tento perceber o que se passa.
E é aí que subitamente percebo, mas infelizmente tarde demais, padeço de preguiça e dos seus perigosos agentes pacificadores...

puta arrogante

1 comentário:

Puta valente disse...

E qd eu percebi que estava a ser invadida por um abrupto brilho nos olhos, dos intransigentes e cheios de vontade de gritar ao mundo: esta é a puta arrogante, que partilha comigo gargalhadas, espaços, ideias, sorrisos e irritações, a que brinda comigo à profissão e me dá o seu ombro cheio de discernimento nas minhas preocupações, percebi, era orgulho!