sexta-feira, janeiro 19, 2007

Num universo onde tudo parece simplesmente perdido de tão escuro


Erguem-se pernas finas e trôpegas, um raio de luz que ilumina a união de duas copas de árvore, estão curvadas o máximo que conseguem e a natureza lhes permite, e o seu movimento lento e imperceptível não é suficiente para que consagrem o amor que as une, estão sujeitas à ira do vento, e não da boa vontade da brisa, precisam de movimento para que as pontas das suas folhas se toquem e causem arrepios.

Assim é o amor entre nós, está á mercê de iras escondidas, indiscutivelmente irracionais, porque a inércia que nos habita o coração é temerosa e infiltra-se, como água preguiçosa nas canalizações usadas, caímos em cheiros nauseabundos, aos que chamamos exigências, porque o amor tem catálogo, chegou-me a ultima colecção a semana passada, as cores da paixão seguem as tendências e existe uma época especifica para tal, a favorita e que esgota antes mesmo de começar, valendo balúrdios o bilhete, chama-se primavera, no verão existem promoções, pack’s de “compre um leve dois” e “mais vale um pássaro na mão, que dois a voar”são os mais procurados, nas estações frias os pack’s que se vendem são carinhosamente chamados de incrementos (eu chamo de falsas ilusões), utilizados para conservar o amor adquirido nos meses anteriores, trazem mantinhas com cores da tendência, claro, detergente e amaciador suaves, livro com dicas de delicadeza e por mais uns trocos vem mais um intitulado”conquiste o amor em 10 simples etapas…” se nada disto funcionar, resolve-se a situação por e-mail, chamada ou sms com um simples “não te quero mais, a culpa não é tua, é minha, que não me adaptei, fui!”. Aguardasse fervorosamente pela nova época, a que nos traz novidades, novas tendências, novas cores de paixão e amores, por catálogo, se o mesmo não nos chegar a casa, não se esqueçam de ir à Internet…
Pois o catálogo chega-me a casa todos os anos, todas as tendências em todas as estações, sou uma viciada na moda do amor, mas ainda se encontra em estudo o manual “Como construir sentimentos puros e verdadeiros” e o “Construa amor”, como tal sou apenas humana, fria!


Puta Valente

2 comentários:

B. disse...

A moda desta estação escapa me, tal como me escapou a anterior e espero que escape a próxima!
quanto a si, puta valente, pode ser que seja apenas humana, mas fria não é de certeza! A "menina" tem o calor na voz e no olhar, e o seu corpo também o irradia...pobres coitados que o experimentaram e não perceberam e pobres também daqueles que nunca terão a sorte de a perceber. De perceber o quão fantásticamente maravilhosa é! beijos irremediavelmente apaixonados pela sua essencia

puta valente disse...

Ai filha, que não percebam nunca, que aí e que não me largam de todo, e de eternos nostálgicos passam a carraças febris!
Deixa estar, que a menina vai ficar de olho no catálogo...
LOL
Beijinhis!