terça-feira, novembro 28, 2006

Entranhas-me


Flutuo nas gotas de água caída, dissolvo a minha essência nessa água perdida, sinto a violência da queda, de nuvens intocáveis até à terra, com velocidade de projecteis cuspidos, indesejados… batem-me na pele e queimam, dissolvendo-me com a facilidade do açúcar em fino pó, e aí fico, perdida em cada gota que se prende e expande na terra, perdida num telhado, perdida numa peça de roupa, perdida no cheiro a molhado… e tu com a tua sagacidade aspiras esse odor, cobres o nariz com o invisível, absorves-me com fervor, permites-me ficar-te na memória, cheiras-me com intensidade, fico-te na saudade, e passas os dias a recordar-me, quedaste num canto, esperando ansioso pela próxima chuva, pela próxima percepção, porque sabes que vais encontrar-me, dissolvida para ti, perdida no mundo… vês-me como a tua inviável fantasia, mas tens-me gravada na memória como ninguém alguma vez conseguiu, anseias-me, cheiras-me com uma paixão invejável e inalcançável, procuras-me, e de mim dou-te apenas a minha volatilidade, a maleabilidade…
Contorno-te, agarro-me a ti como a gota caída ao pó da rua, sinto-te o morno da pele, tiro-te medidas, aconchego-me junto ao teu peito, sei os teus pensamentos, bebo-te as emoções misturadas, devagar, suavemente, degustando-te com elouquencia momentânea, conheço-te os movimentos, procuro-te quando quero, tenho-te à minha espera, por vezes esqueço-me de ti… e apenas te dou o meu cheiro dissolvido em água de chuva…

Puta Valente

5 comentários:

puta arrogante disse...

quem se entranha é a menina, e este seu modo delicioso de escrever! percebe?

mal li este e já estou com vontade de devorar proximo post que terá a valentia de aqui colocar.

bem-haja por ser quem é e escrever como o faz!

Puta Valente disse...

A menina faz-me corar!
Confesso que me caí em cima qualquer coisa com as suas palavras, não olhando pejorativamente para o "Caí"...
Ou se preferir, mudo para "sinto", porque sentir é muito mais digno que cair, mas por vezes sentimos angústias ou caímos em boas graças... leia como preferir, o que vai cá dentro é apenas um turbilhão grato pela atenção que me presta ao ler, mesmo que à primeira vista não lhe faça sentido, sabe que o dúbio é possível e que pode levar a interpretações únicas e um dia sentar-nos-emos para comparar as mesmas :)
Grata, sempre!

Wicca disse...

Ora bem, é de facto delicioso chegar a um blog onde se escreve de forma tão intensa! Parabéns à valente por conseguir transmitir tão bem sentimentos e pensamentos, levando quem lê a divagar pelos meandros do inconsciente! Contudo sempre que leio os posts da valente, n deixo de pensar que o nome valente n está muito adequado a esta puta.... teria de ser um nome bem mais interessante e identificativo... tb começaria com V... mas n vou dizê-lo porque posso correr risco de vida e viver perto dela coloca-me sempre em cheque!

Beijos Ven.... pa valente!
Wicca

Anónimo disse...

Seja intrépida, não tema pela sua vida e despeja o despautério!
(digo eu a bater com a palma na mão no peito) enfrentai-me nobre donzela!

Puta Valente

Lunna disse...

Excelente!

Tens dentro de ti a capacidade de ser sempre mais... maior...

É surpreendente.

Beijos