sexta-feira, junho 01, 2007


Mergulho numa intensa sensação, descarnada de qualquer sentimento belo ou intenso. Deixo-me invadir pelo desejo de me sentir, de me possuir a mim mesma. Toco-me desprovida de qualquer recordação ou interesse. O desejo é um único, vir-me em mim, para mim.

Envolvo os meus dedos em minha língua, embrenho-me em meu peito, tocando-me com uma força delicada… desejo-me a mim mesma. Egoísta, quero ser egoísta! Quero ter-me e sentir-me apenas. Quero viver o momento para mim e apenas em mim!

Não te deixo tocar-me… não quero que conspurques o meu desejo, a minha languidez, o meu momento. Tentas aproximar-me desejando fazer parte do momento, querendo ou tentado proporcionar um prazer igual. Não tentes. Não conseguirás. Afasto-te com minha mão… tu não percebes. Não entendes que naquele momento não te quero… não preciso de ti, dos teus artefactos de sensualidade barata, de uma boca que não supera meus dedos, de uma pele fustigada em suor, provido de um ardor só por ti sentido. Quando te quiser usar eu uso, agora afasta-te de mim…. Dorme. Mas tu não entendes um não… afastas as minhas pernas, tiras a minha mão e colocas a tua… que tédio… que fastio me abafa a garganta. Olho para ti com escárnio que confundes com desejo. Estou húmida, mas desejo-me a mim! Queres que gema? Eu gemo. Queres que te diga não pares? Eu digo. Queres que implore por ti? Imploro. Só para que te sacies… só para que te delicies mais uma vez em mim, e adormeças. Só para que possa tomar-me em minhas mãos de novo e fazer-me sentir viva…

Já acabas-te? O meu olhar transmite prazer, tu não entendes que é o prever do prazer que vou ter. Sentes-te orgulhoso do teu feito. Sentes que conseguiste o que querias! Podre diabo que nem percebe o quão inútil é, no quão enfadonho se consegue tornar.


A Outra Puta

2 comentários:

puta valente disse...

É impressionante esta outra puta...
Aqui fica o meu entusiasmo perante a independência feminina.
Puta...

Masturbatrix disse...

puta muito cerebral esta...
Gostei! É bom concentrar-mo-nos no nosso próprio prazer...e que se fodam os outros!