segunda-feira, outubro 23, 2006

Encontra-me


Vem, anda daí e decifra cada cicatriz que trago no corpo, arroxeada e mal tratada, curada às pressas com uma tintura de iodo fraca, como tu.
Esconde a cara das vergonhas aplicadas e do meu sofrimento, vê o quão bela sou por fora e magoada por dentro, vê a tua culpa a delinear-me o corpo num limite ofegante, que ameaça romper, deixando-me a desnudo toda esta angústia.
Liberta a lagrima de arrependimento e liberta-me desta agonia de uma vez, que luto todos os dias por uma ponta de dignidade no olhar, vasculho as minhas forças e perante a sociedade mostro o belo, por dentro, apenas tu conheces, foste tu que me levaste a cair, agora que me chames puta, mas sou valente!

2 comentários:

Lunna disse...

As quedas são sempre valiosas...

Levanta-te e absorve o sol, a chuva (q tanto gostas) e corre novamente nessa estrada...
;)

SeñorDeLosAnillos disse...

Muito Maravilhos...Vida de puta compensa a alma...assaz emocional...assaz comovente